Não queremos mais resorts! Salvar a Lagoa dos Salgados

Posted on 8 de Outubro de 2012

0


Neste mesmo dia em que os “prémios” da indústria turística destacam o golf e as praias do Algarve há que fazer uma  chamada de atenção para os protestos contra o Resort  que pretender destruir a Lagoa dos Salgados e a Praia Grande na costa de Silves. Desta vez o “acolhimento” deste novo ataque da especulação imobiliária que pretende fazer do sul de Portugal um “Pais Resort” (conforme expressão do Plano Estratégico Nacional do Turismo) tem encontrado oposição. A ilusão do emprego já não pega neste algarve desempregado, refém da industria turística e de boas terras e árvores abandonadas (ver noticias AQUI, AQUI e AQUI).

Ao lado do mega-empreendimento do resort e golfe da Herdade dos Salgados, hoje à beira da falência e que comprometeu irremediavelmente a sua margem oriental, o grupo financeiro Galilei (ex Sociedade Lusa de Negócios, ligado ao escândalo do BPN e presidido pelo atual Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano) pretende construir em 2013 um dos maiores empreendimentos turísticos em Portugal em 358 hectares da margem ocidental da Lagoa dos Salgados: três unidades hoteleiras, cinco aldeamentos turísticos, espaços comerciais e um campo de golfe de 18 buracos. Em troca a destruição de um reconhecido local único e essencial à biodiversidade costeira e em particular à avifauna.

Corre já uma petição online (AQUI) que termina citando as seculares lutas indígenas: “Só quando a última árvore for derrubada, o último rio estiver poluído, o último peixe morto, é que vamos perceber que não podemos comer dinheiro”.

O grupos ambientalistas como a Almargem, LPN e Quercus – em conjunto com outras organizações para a protecção das aves como SPEA e a A Rocha, apelam a uma “ação popular”, no Sábado, 20 de Outubro, com início marcado para a 15h00, e que inclui palestras com especialistas em aves, bem como a possibilidade de debate público e uma sessão de encerramento da iniciativa de observação de aves mais para o final da tarde (Ponto de encontro: a zona do parque de estacionamento no extremo oeste da lagoa, junto ao Duna Café.

(Fotos Gabriel Clemente/Sulinformação   e AlgarveBlog )

Anúncios