Flauta de Luz

Posted on 9 de Março de 2013

3


flautadeluz001

FLAUTA DE LUZ. Boletim de Topografia, é o novo projecto editorial libertário de Júlio Henriques,  a partir do Alto Alentejo, por terras de Portalegre. Uma nova publicação que colige “textos de vária procedência que tendem para um diálogo subversor dos fundamentos do presente sistema imperial”. Júlio Henriques oferece-nos uma importante selecção de reflexões que nos ajudam a entender como “a complexidade das sociedades contemporâneas resulta, não da simples evolução do Progresso, mas, mais propriamente, de uma guerra social”. Como “a complexificação da «sociedade moderna» tem sido a resposta das classes dominantes às tentativas populares para pôr em causa o seu domínio e tentar criar qualquer coisa de decente”.

Por isso é necessário contrapor cada vez mais um discurso, uma prática critica – e uma nova topografia – perante aquilo que “a propaganda estatal e económica, hoje requintadamente crismada «comunicação» encarrega-se desde há muito de fomentar [como] uma ideia sedutora: esta complexidade é sinónimo de enormes progressos, correspondentes à evolução humana para os píncaros da Técnica”. Assim permitindo “lubrificar em permanência os motores mentais do desenvolvimento, não podendo a Complexidade deixar de ser vista como um grande Símbolo do que existe de superior”.

A outra forte componente de FLAUTA DE LUZ é precisamente contrapor a essa Complexidade das sociedades superiores, o ensinamento dos povos indígenas, das sociedades inferiores, aquelas que são “para a antropologia do capital (…) as primitivas, porque nestas é ilegítimo o fosso das diferenciações sociais.”

Um texto de Charles Reeve (Jorge Valadas) testemunha ainda os tempos atribulados de hoje neste “pesadelo acordado do povo português”

 

FLAUTA DE LUZ (nº 1, Janeiro 2013)

JÚLIO HENRIQUES

Prólogo

JERRY MANDER

Na ausência do sagrado

CHARLES REEVE

O pesadelo acordado do povo português

SIMON ORTIZ

Dois poemas

FRANÇOIS CHEVALLIER

Autodesprezo

WILLIAM H. KÖTKE

Um novo mundo

GÜNTHER ANDERS

Canibalismo pós-civilizacional

JEAN CLAIR

Eufemismos

SURVIVAL INTERNATIONAL

TERI C. MCLUHAN

Os Koguis

DAVID WATSON

Seis teses sobre a energia nuclear

DIETMAR SEDLMAYR

Origens da ideologia do Progresso

N. SCOTT MOMADAY

Canção de júbilio de Tsoai-Tali

JEAN LIEDLOFF

O Principio da Continuidade

JÚLIO HENRIQUES

Viver sem televisão

N. SCOTT MOMADAY

Cemitério da Montanha Chuvosa

JÚLIO HENRIQUES

A civilização avança

Design gráfico e paginação: Tiago Mourato.

Contacto: Painel da Antiqueira, 39 – Vargem 7300 – 430 Portalegre

«O presente boletim tem como antepassados as revistas Subversão Internacional (Lisboa, 1977-1981 e Pravda – Revista de Malasartes (Coimbra, 1982-1992), bem como diversas incursões nas revistas Utopia, Coice de Mula e Cadernos Periféricos.»

À venda (2€) entre outros locais nas livrarias Utopia e Gato Vadio – Porto; Letra Livre, BOESG em Lisboa)

Anúncios