Exposição de Gonçalves Correia no Alvito… e uma cantiga da Comuna da Luz

Posted on 11 de Maio de 2013

0


Foto G Correia

Recorda-se da Comuna? O que era isso? Como é que lá se vivia?

Recordo-me muito bem. O Gonçalves Correia era muito amigo do comunismo e conseguiu que fossem para lá trabalhadores rurais e sapateiros fazer uma comuna. Agora como viviam não sei, porque era lá longe na charneca e nunca lá fui. Mas lembro-me de aparecerem aí papéis a falar da Comuna e que os pobres é que produziam tudo e que as injustiças tinham de acabar e que era preciso fazer a revolução. Eu não sei ler, mas ia ouvir ler esses papéis. Traziam cantigas que nós depois cantávamos.

Cante lá uma…

Todo o produto é de quem sua

A corja rica o recolheu.

Queremos que ela o restitua

O pobre só quer o que é seu.

Numa pequena aldeia

Escutem trabalhadores

Uns aos outros vão dizendo

Não mais escravos nem senhores

Depoimento recolhido em Dezembro de 1981 de Mariana Francisco Chaveiro, viuva de Manuel Hilário, um dos 30 trabalhadores de Vale de Santiago deportados pelo Sidonismo em 1918. Recolhido por Francisco Canais Rocha e Maria Rosalina Labaredas no livro “Os trabalhadores Rurais do Alentejo e o Sidonismo. Ocupação de Terras no Vale de Santiago”

14954994_6tIue

Anúncios