Memória Anarquista. Investigação e divulgação

Posted on 19 de Novembro de 2012

3


Decorre  já desde 2010,o projeto de investigação (FCT) designado por MOSCA: “Movimento social crítico e alternativo: memória e referências”. Aguarda-se a atualização da página on line – AQUI – que visa prestar informação pública atualizada sobre o progresso deste projecto, disponibilizando também textos de trabalho e outros recursos.

A equipe do projecto conta entre outros com João Freire, José Maria Carvalho Ferreira; António Cândido Franco e Paulo Eduardo Guimarães. “O catálogo MOSCA descreve a documentação do Arquivo-Histórico Social (A.H.S.) depositada nas Colecções da Biblioteca Nacional de Portugal em Abril de 1980. Compreende ainda alguns documentos seleccionados provenientes da Associação Cultural “A Vida”[ que edita a Revista UTOPIA] que documentam parcialmente a actividade dos libertários portugueses no período imediato ao 25 de Abril de 1974.”

Aguarda-se assim com ânimo a disponibilização de um catálogo que pretende “fornecer ao utilizador informação predominantemente sobre as colecções de documentos de antigas organizações sindicais e libertárias e sobre os espólios dos militantes sociais que integram o A.H.S. Trata-se de documentação sobreviventes à onda repressiva a que essas organizações estiveram sujeitas, principalmente a partir de 28 de Maio de 1926 e agravadas no processo de institucionalização da organização corporativa do Estado que conduziu à sua extinção ou conversão em sindicatos nacionais e casas do povo (de 1934 em diante). O arco cronológico compreende documentação desde finais do século XIX até finais da década de 1970, recaindo predominantemente no período entre as duas guerras mundiais. Além de informação de arquivo, o catálogo descreve também as monografias e as publicações periódicas que formam a biblioteca A.H.S. No conjunto, a documentação A.H.S. neste catálogo compreende documentação instalada em 145 caixas de arquivo (inclui objectos museais), 1562 monografias (livros ou brochuras) e 315 títulos de publicações periódicas. A documentação de arquivo foi digitalizada. O catálogo permite aceder às cópias das imagens dos documentos  que foram associadas à descrição catalográfica.”

A propósito da Universidade de Évora que acolhe esse importante projecto de investigação tome-se nota amanhã para a Mesa redonda – Gonçalves Correia: a utopia de um cidadão

20 de novembro de 2012, pelas 16 horas, na sala 124 do Colégio do Espírito Santo da Universidade de Évora.

Participantes:

  • Prof. António Cândido Franco (DLL-UE)
  • Prof. Paulo Guimarães (DH-UE)
  • Dr.ª Paula Santos (Diretora da Biblioteca Municipal de Beja)
  • Dr.ª Francisca Bicho (responsável pela exposição Gonçalves Correia: a utopia de um cidadão)
  • Prof.ª Sara Marques Pereira (Diretora da Biblioteca Geral da Universidade de Évora)

 

 

Anúncios